Notícias

Homenagem ao 142º aniversário de Santos Dumont
Por: 20 de Julho de 2015 em: Notícias

Ele planejou, construiu e experimentou mais de duas dezenas de invenções entre balões livres, dirigíveis e aviões monoplanos e biplanos, além de apresentar o primeiro hangar e motores a gasolina mais leves.  Foi o inventor do primeiro veículo mais pesado que o ar capaz de alçar voo com propulsão própria: o lendário 14-Bis.
Nem imaginava que mais de um século depois sua façanha de voar resultasse em um mundo sem fronteiras no espaço e sem limites de tempo, possibilitando uma maior integração e troca cultural entre os povos, avanços científicos e relações econômicas mais dinâmicas. Hoje, voar num avião comercial é uma experiência comum e presente no dia a dia de milhares de pessoas no mundo.

Há 142 anos, no dia 20 de julho de 1873, nascia Alberto Santos Dumont, no sítio Cabangu, na cidade de Palmira (hoje município Santos Dumont) em Minas Gerais. Para reconhecer seu mérito de inventor, não faltam homenagens. No dia 20 de junho de 2013, por exemplo, foi publicada a Lei 12.831, determinando que aeroportos, bases aéreas e similares mantenham permanentemente, em local visível, a imagem de Santos Dumont acompanhada da inscrição “Pai da Aviação”.

Com apenas 12 anos, o brasileiro Santos Dumont tinha permissão de seu pai para dirigir locomotivas de café da região e, aos 14 anos, demonstrava uma natural facilidade para lidar com máquinas e realizar pequenos reparos. Ao ler as obras do escritor francês Júlio Verne, nasceu no inventor o desejo de conquistar o ar. Os submarinos, os balões, os transatlânticos e todos os outros meios de transporte que o romancista previu exerceram uma profunda impressão na mente de Santos Dumont.

O aviador fez os primeiros voos do mundo homologados pelo Aeroclube da França de um aparelho mais pesado que o ar. Em 1901, conquistou o Prêmio Deutsch, quando em um voo contornou a Torre Eiffel com o seu dirigível Nº 6, transformando-se em uma das pessoas mais famosas durante o século XX. Santos Dumont também foi o primeiro a decolar a bordo de um avião impulsionado por um motor a gasolina. Seu mais popular dirigível, o Nº 9, era pequeno e eficiente. Três vezes menor que o Nº 6 e equipado com um leve motor de 3 HP, o Baladeuse era tão eficiente que foi constantemente utilizado por Santos Dumont em seu dia a dia, substituindo seu automóvel na locomoção entre almoços e eventos sociais.

Em 23 de outubro de 1906, voou cerca de 60 metros a uma altura de dois a três metros com o Oiseau de Proie' (francês para "ave de rapina"), conhecido como 14-Bis, no Campo de Bagatelle, em Paris. Menos de um mês depois, percorreu 220 metros a uma altura de 6 metros com o Oiseau de Proie III. Em Setembro de 1908, estabeleceu o recorde de velocidade voando a 96 km/h no ‘‘Demoiselle’’. Fez um vôo de 18km, de Saint-Cyr ao  castelo de Wideville, considerado o primeiro recorde da história da aviação.

FRASES

 “Com o Capitão Nemo e seus convidados explorei as profundidades do oceano, nesse precursor do submarino, o Nautilus. Com Fileas Fogg fiz em oitenta dias a volta ao mundo. Na Ilha a hélice e na Casa a vapor, minha credulidade de menino saudou com entusiástico acolhimento o triunfo definitivo do automobilismo, que nessa ocasião não tinha ainda nome. Com Heitor Servadoc naveguei pelo espaço”, disse referindo- se aos livros de Julio Verne.  

“As invenções são, sobretudo, o resultado de um trabalho teimoso”.

"O balão parece estar parado no ar enquanto a terra voa lá embaixo”.

"Na luta pelo progresso, só vale o sucesso." 

"A direção dos balões e vôo mecânico eram problemas insolúveis." 

"Os pássaros devem experimentar a mesma sensação, quando distendem suas longas asas e seu vôo fecha o céu... Ninguém, antes de mim, fizera igual." 

"Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la." 

"Eu naveguei pelo ar." 


"As coisas são mais belas quando vistas de cima”.

 

Você sabia que...

  1. O motor do 14-Bis foi adaptado de um modelo usado em lanchas. O trem de pouso foi feito com rodas de bicicleta e o piloto ficava num cesto parecido com o de um balão.

  2. As partes do 14-Bis eram presas com cordas de piano e o revestimento era de seda impermeabilizada com cera de abelha.

  3. Santos Dumont instruiu a primeira mulher a voar sozinha. Após três lições, em 29 de junho de 1903 a jovem cubana Aída D’Acosta decolou em um dirigível construído por ele, nos céus de Paris.

  4.  Além de ter aprimorado o desenho de suas aeronaves, Santos Dumont criou um deslizador aquático, uma espécie de aerobarco.

  5. Antigamente, usavam-se relógios de bolso. Um dia, o aviador brasileiro Santos Dumont amarrou um no pulso para contar seu tempo de voo. A ideia deu certo e ele pediu ao joalheiro Louis-Joseph Cartier que criasse um novo modelo. Foi assim que, em 1907, o francês Cartier inventou o relógio de pulso.

  6.  Depois do 14-Bis, Santos Dumont construiu o Demoiselle, um avião um pouco mais leve, no qual voava todos os dias.

  7. Em Petrópolis, no Rio de Janeiro, fica a casa de verão de Santos Dumont. Projetada por ele mesmo, é conhecida como A Encantada e tem detalhes curiosos, como os degraus das escadas recortados em forma de raquete — só dá para começar a subir ou descer com o pé direito. Hoje a casa é um museu, aberto para visitantes.

  8. Uma das mais curiosas e interessantes excentricidades do inventor brasileiro eram os jantares aéreos que começou a oferecer aos amigos no final de 1890. No começo, mesas e cadeiras normais pendiam do teto presas a cabos de aço no alto pé-direito do seu apartamento no Champs-Elysées.

  9. Recebeu o primeiro brevê de piloto do mundo.

  10. Faleceu em 23 de julho de 1932 no balneário paulista de Guarujá.